Coreia do Sul prepara-se para banir a "bitcoin"

Primeiro foram as inspeções-surpresa em bolsas de bitcoin como a CoinOne e a Bithumb. Depois, o anúncio claro por parte do governo da Coreia do Sul: "o Ministério da Justiça está a preparar um projeto-lei para banir a negociação de criptomoedas através de bolsas". Em poucos dias, dois golpes para a bitcoin e para as moedas digitais, de um modo geral, não fosse a Coreia do Sul um dos países mais importantes, nesta fase, para a popularidade das criptomoedas.

Estima-se que será na Coreia do Sul que se faz uma em cada cinco transações envolvendo as principais criptomoedas -- em que a bitcoin é a mais conhecida mas está longe de ser a única cuja popularidade disparou nos últimos meses (e o preço também). Mas, depois de o governo já ter indicado que iria combater crimes como evasão fiscal, viabilizados pelas moedas digitais, agora não resta margem para dúvidas -- está para breve a tomada de medidas que serão um golpe para os volumes de negociação de moedas digitais naquele país.

"Existem grandes preocupações em relação às moedas virtuais e o Ministério da Justiça está, basicamente, a preparar um projeto-lei para banir a negociação de criptomoedas através de bolsas", disse o ministro Park Sang-ki, citado pela agência Reuters. Já tem havido vários meses de diálogo entre o governo e múltiplos organismos regulatórios -- um diálogo que já foi "suficiente", diz o ministro -- para desenhar a legislação que será apresentada.

Mesmo depois de apresentada, a legislação terá de ser votada favoravelmente por uma maioria de deputados, o que pode demorar alguns meses a conseguir. Ainda assim, mesmo não tendo efeitos imediatos e não ser totalmente inesperada, a notícia voltou a penalizar a negociação de criptomoedas nas últimas horas, possivelmente também em reação à notícia dos raides aos escritórios de duas das principais bolsas de bitcoin na Coreia do Sul.

http://observador.pt/2018/01/10/bitcoin-e-as-criptomoedas-isto-nao-vai-acabar-bem-avisa-warren-buffett/

Edgar Caetano h 8 dias