Coreia do Norte. Mezinhas para tratar Covid-19

Uma semana depois do primeiro caso oficial de Covid-19 registado, de dezenas de milhares de casos de uma "febre estranha" contabilizados e com um confinamento nacional implementado, a Coreia do Norte aconselhou os seus cidadãos a tomarem chá de salgueiro e a gorgolejarem água salgada para tratar os sintomas da Covid-19.

De acordo com o The Guardian, a agência estatal da Coreia do Norte, KCNA, afirmou mesmo que as medicinas tradicionais eram "eficazes na prevenção e cura da doença maliciosa" - ainda que não existam evidências científicas para o promover.

Sem qualquer tipo de plano nacional de vacinação ou tratamentos aprovados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a Coreia do Norte encoraja às pessoas infetadas com o SARS-CoV-2 a tratarem a doença com analgésicos, antibióticos e mezinhas caseiras, como chá de salgueiro, mel ou madressilva, ou ainda a gorgolejar água salgada.

Uma residente de Pyongyang, ainda de acordo com o jornal britânico, afirmou num canal norte-coreano que beber chá de gengibre e arejar o quarto a tinha ajudado a ultrapassar a Covid-19.

Inicialmente estava assustada com a Covid, mas depois de seguir os conselhos dos médicos e tratar-me de forma correta, acabou por não ser um grande sarilho", afirmou a mesma residente.

https://observador.pt/2022/05/12/coreia-do-norte-anuncia-primeiro-caso-de-covid-19/

A agência estatal encorajou ainda os doentes com o novo coronavírus a tratarem-se com ibuprofeno e amoxicilina, antibióticos que não combatem vírus, mas sim bactérias que possam causar infeções no organismo humano.
As suas medidas não fazem sentido nenhum", afirmou Cho Chung Hui, um antigo oficial do gabinete de gricultura norte-coreano à Associated Press. "É como se o governo estivesse a dizer às pessoas para contactarem os médicos apenas se tiverem dificuldades em respirar, ou seja, mesmo antes de morrerem."

Em 2011, Cho Chung Hui fugiu para a Coreia do Sul, mas a família permanece na sua terra natal. "O meu coração chora quando penso no meu irmão, na minha irmã e no seu sofrimento na Coreia do Norte."

Tendo recusado as ajudas oferecidas tanto pela Coreia do Sul como pelos Estados Unidos da América, a Coreia do Norte conta já com quase dois milhões de casos de sintomas febris reportados e 63 mortes, num país com aproximadamente 25 milhões de habitantes.

Choi Jung Hun, médico que também fugiu da Coreia do Norte para a Coreia do Sul, acredita que o regime do Norte vai utilizar a sua resposta à pandemia como meio de promover a imagem de Kim Jong-Un - enquanto líder que se preocupa com os seus cidadãos - e ainda unir internamente a nação.
Um dia, dirão que contiveram a Covid-19, e, por comparação com os valores de mortes nos EUA e na Coreia do Sul, dirão que fizeram um bom trabalho e que são o melhor país do mundo na contenção da pandemia", explicou o médico à Associated Press.

Diogo Paredes h 1 mês